A few thoughts on us.. women. Ainda somos o segundo sexo

Ontem, visitando o Taj Majal, observei que a tumba de Shah Jahan é mais alta que a de Mumtaz Mahal. Ou seja, embora ele tenha construído o mausouleum em homenagem a ela, sua esposa favorita, ele fez sua tumba mais alta. E isso é assim... na India e no resto do mundo. Nós ainda estamos por baixo. Somos vítimas e criadoras desta situação e eu não sei se mais ajudo ou atrapalho esta causa. Nunca fui tão questionada como nos últimos dias por que eu, aos 32 anos (OMG!!!!!) continuava solteira e sem marido. E sozinha na India. Fui olhada como uma extra-terrestre, um olho só. Por vezes eu me senti orgulhosa, outras envergonhada de meu status. As mulheres indianas não são tontas. Elas apenas aceitam a vida como ela é. Conversando com a irmã de um amigo a caminho do noivado da prima. Casamento arranjado pelos tios.

Alexa: So, are you going to marry in an arranged marriage as well?
Ela: Oh, yes. That's how it is in our family.
Alexa: Really? Aren't you scared?
Ela: Why should I?

Este diálogo eu tive ao menos com cinco mulheres diferentes e elas são MUITO felizes. Elas não têm o meu medo ridículo de se casar, de me arrepender, de ser infeliz, de fazer alguém infeliz. Elas simplesmente vivem a vida como foi planejado pelos homens da família. Claro, temos aí dois lados de uma mesma moeda. Se elas se apaixonarem por alguém neste ínterim, pode esquecer. Nem por cima do cadáver do pai e dos irmãos ela poderá se casar. Mas a Índia é um país diverso, e uma Índia moderna se vê em todos os lados. As mulheres que conheci em restaurantes da moda ou clubs são como qualquer ocidental: lutando por sua identidade num país de costumes tão ortodoxos. Para saber mais, leia o chick flick Almost Single... espécie de Sex & City indiano superrealista.

PS: meu novo chefe VP tem 14 direct reports. Apenas 4 somos mulheres, incluindo sua secretária. Te diz alguma coisa?

13 comments:

Vanessa said...

Comentei com a minha medica, who happens to be Indian, que adorei o filme "The Namesake". Ela olhou para mim e disse "always thought Brazilian women had no culture or any interests other than their appearance." Me senti insultada, mas como eu nao queria discutir com a mulher que me prescreve remedios, fiquei quieta. Mas mudei de medico ;)

AnaCris said...
This comment has been removed by the author.
AnaCris said...

Ale, foi por isso que decidi aceitar a proposta de trabalhar no Chile por um ano, e não Dubbai. Por mais que os Emirados Árabes sejam mais ocidentalizados se comparados com Arábia Saudita ou Sudão, a vida lá ainda é muuuito restritiva para mulheres. Imagine, você vai a um restaurante e está voltando de carona com um amigo depois das 22h. A polícia religiosa para vocês e, se não disserem que são casados, você pode ser presa. É mole?
Você já foi a algum país de maioria muçulmana? Passou por algo assim? Conte-nos... Adorei o post! Muito mesmo!! Beijo grande. CRIS

lilian said...

Ale, se vc andar pelo nosso pais em alguns lugares e igual a india tambem.Nos ainda vivemos num mundo dos Homens, apesar das mulheres atualmente serem muro de arrimo.
E outra, o que o casamento hoje em dia?Bjos

Kelly® said...

é esse livro o meu presente? eu quero! :)

Alexal said...

eu nunca mais voltaria nesta vaca mesmo! Kelly, o livro poderia ter sido escrito por vc.

Cassia & Filipe Ferreira said...

"Why should I?" foi mesmo scared. Pelo menos para uma mente ocidental...

Kelly® said...

cassia, acho que eu tô tão acostumada já com meus colegas indianos da firrrma, que descabidas pra mim foram as perguntas da alexandra :P

AnaCris said...

Alexal, happy belated birthday!
Que seu novo ano seja cheio de coisas maravilhosas! Beijo com saudade. CRIS

Patricia said...

Me identifiquei com o teu texto, também tenho 32 anos e sou solteira, e mesmo no Brasil ainda tem pessoas que me olham como se eu fosse uma ET.
Beijos

Cathy Ma said...

Ah I wish I read Portugese :)

Alexal said...

hey dear!.. Good to see you here!

lalis said...

Ale, na Coreia somente ano passado aprovaram uma lei que as mulherem podem ter cargos de chefia. Tem muita coisa para melhorar.